Apresentação

A decisão de coordenar a edição de um livro de ecodoppler vascular com um tema específico, artérias carótidas e vertebrais, provém da observação de que esse método de investigação diagnóstica tornou-se tão significativo quanto ubíquo que mereceu de nossa parte um foco temático.

A doença cerebrovascular tem alta prevalência no nosso país e está intimamente associada ao espectro das doenças cardiovasculares, fazendo com que o exame de Doppler das artérias carótidas e vertebrais seja um dos exames ecográficos vasculares mais solicitados. Angiologistas, cirurgiões vasculares, clínicos gerais, cardiologistas, neurologistas e muitas outras especialidades clínicas geram solicitações que têm permitido que decisões clínicas e cirúrgicas sejam tomadas. Cabe a nós, ecografistas vasculares, oferecer o melhor do nosso conhecimento para a boa conduta médica em prol do paciente.

No alvorecer, o Doppler das artérias carótidas e vertebrais foi principalmente utilizado como método de triagem para posterior complementação diagnóstica com outros métodos de imagem. A melhoria da qualidade técnica por hardware, software e recursos humanos proporcionou o aprimoramento da técnica e atualmente muitas das decisões clínico-cirúrgicas são tomadas com base somente nas informações desse exame. A tendência menos intervencionista no território carotídeo vertebral não tirou a importância do ecodoppler. O diagnóstico preciso e o seguimento diligente da doença carotídea valorizam ainda mais a técnica. Uma outra mudança fundamental ocorreu. Originalmente realizado e difundido por radiologistas, ecocardiografistas e angiologistas, foi também encampado por um contingente crescente de cirurgiões vasculares que, mesmo sem deixar suas práticas operatórias, incorporaram a ecografia vascular no seu arsenal investigativo e terapêutico. Portanto, o ultrassom-Doppler também ocupou seu espaço em consultórios médicos, centros cirúrgicos e suítes endovasculares.

A quem se destina este livro? A todos aqueles que se dedicam ao diagnóstico e tratamento da doença cerebrovascular. O livro foi idealizado e desenhado com base na experiência pessoal como ecografista vascular e, principalmente, como professor nessa área. Achamos importante que discutíssemos aspectos clínicos e cirúrgicos das condições abordadas, com base nas dúvidas que colegas não vasculares (principalmente radiologistas e cardiologistas que frequentam a residência médica e nossos cursos) expunham sobre as doenças que estavam diagnosticando. Além dos capítulos tradicionais, há uma seção bem objetiva e ilustrada sobre o relacionamento entre o Doppler de carótidas e procedimentos cirúrgicos e endovasculares porque entendemos que o ecografista precisa entender, de forma bem sucinta, como são realizados os procedimentos, bem como suas indicações, técnicas e protocolos de seguimento. Dois capítulos sobre Doppler transcraniano por imagem oferecem conhecimento sobre a modalidade, cada vez mais importante dentro de hospitais terciários e na política sobre doação de órgãos.

Solicitei aos colaboradores deste livro que mantivessem o tom da escrita semelhante ao que oferecemos na nossa residência médica e cursos ministrados. Ciência com uma certa informalidade, fazendo com que o leitor se sinta como se estivesse ao nosso lado, na sala de exame ou no centro cirúrgico. Acreditamos que a melhor forma de entender o ultrassom Doppler é por meio de imagens. O livro é ricamente ilustrado mas também, ao fim de alguns capítulos, acrescentamos códigos QR que levam a vídeos e playlists de exames bem representativos do assunto em questão. Os softwares para leitura desses códigos são ampla e gratuitamente disponíveis para smartphones e outros dispositivos. Essa integração entre tecnologias permite maior interação entre os autores e leitores. Aproveitem!

Por fim, o investimento e os esforços aplicados na realização de um livro temático em ecodoppler das artérias carótidas e vertebrais é por que acreditamos que o conhecimento já é amplo o suficiente para ganhar uma publicação específica.

Robson Barbosa de Miranda